Envelhecer Não Significa Empobrecer

Tempo de leitura: 9 minutos

ENVELHECER NÃO SIGNIFICA EMPOBRECER, SÓ DEPENDE DE VOCÊ

Aposentar-se é algo de que ouvimos falar desde a juventude. Esse conceito traz consigo muitos mitos e bastante ansiedade. Afinal, como vou conseguir me virar com o escasso dinheiro da aposentadoria concedida pelo governo?

A princípio, quando pensamos em um aposentado, logo vem a imagem de velhinhos simpáticos, jogando golfe na Flórida ou em um cruzeiro pelo Caribe. Em seguida, tomamos um banho de realidade: lembramos que, no Brasil, a aposentadoria tem a cara “um pouco” diferente.

O que você iria sentir se eu dissesse que aposentar-se nada tem a ver com “ficar velho”? E ainda: que isso não está nem um pouco relacionado a “ficar parado, sem fazer nada”? Quer algo melhor ainda? Sim, amigo, em sua velhice, você pode ser um daqueles simpáticos senhores de chapéu-panamá branco, vivendo a vida entre tacadas e mojitos sob o sol da Flórida.

Bom demais para ser verdade? Mas acredite, é a verdade!

Como tudo na vida, esses objetivos possíveis, no entanto, podem ficar muito distantes da realidade, caso você não possua o conhecimento apropriado, não faça esforço e nem tenha disciplina, muita disciplina. Por outro lado, com disposição e perseverança, nada é impossível.

Vamos fazer uma rápida viagem a esse lugar chamado “aposentadoria”, onde você vai aprender que nem tudo é o que parece e que idade avançada nada tem a ver com esse contexto. De quebra, ensinarei o caminho das pedras para chegar lá e estar bem na foto. Depois disso, só depende de você!

O Que É Aposentadoria?

Lembra aquela imagem que você projeta de si mesmo, com 80 anos, numa cadeira de balanço, esperando o tempo passar? Esqueça isso! Não houve, em toda a história humana, pelo que sei, um dicionário que colocasse “aposentadoria” como sinônimo de “velhice”. Então, comece esquecendo isso. É claro que, quanto mais tempo você tem, mais os juros compostos vão trabalhar a seu favor. Mas, aqui, o segredo é outro. Falarei disso adiante.

Se aposentadoria nada tem a ver com idade avançada, o que ela é, então? Antes disso, pense no motivo pelo qual você trabalha. Pode até dizer que ama seu trabalho, mas, no fim, é para “pagar as contas”, certo? A fim de prover conforto para você e sua família. Trocando em miúdos: você trabalha para seu próprio sustento.

Como é possível sustentar-se sem trabalhar? É aí que a mágica de uma boa educação financeira – junto com os juros compostos e uma carteira de investimentos bem gerida – dá o ar da graça. O que alguns chamam de “renda passiva” é quando seu dinheiro “trabalha para você”. Isso quer dizer que a renda derivada de seu patrimônio, por meio de juros , dividendos, aluguéis e similares, é capaz de suprir a necessidade financeira de sua família, de forma total ou parcial.

Já entendeu aonde quero chegar? Então, como chamamos o momento da vida em que seu patrimônio é capaz de gerar renda suficiente para que você e sua família não dependam mais do dinheiro gerado pelo trabalho?
Aposentadoria!

APOSENTADO, SIM; PARADO, NÃO!

Muita gente, inclusive eu, não suporta a ideia de ficar sem fazer nada e sente “urticária” ao imaginar-se dentro do conceito “tradicional” de aposentadoria. Mas, como diria Yoda, “preocupar-se você não deve”. Aliás, quem se pré-ocupa, não se ocupa.

Gostaria que a partir de agora fixassem em suas mentes o termo “aposentadoria financeira”, justamente para criarmos distância da noção convencional de “não trabalhar e aposentar-se”. Outro nome muito comum, nesse contexto, é “independência financeira”. Essa expressão confunde muita gente, pois é bastante ampla; pode dizer respeito à independência financeira dos pais; dos bancos; de pensão; via doações ou, finalmente, do trabalho – a qual nos interessa no presente momento.

Conseguir criar um patrimônio grande o suficiente para não depender do trabalho é um privilégio. Isso é fruto de muito esforço e dedicação. Contudo, não há nenhuma regra vinculando sua “aposentadoria financeira” ao abandono de suas atividades.

Por outro lado, saber-se financeiramente aposentado traz consigo uma redução considerável do estresse causado pela pressão orçamentária da família. Essa tranquilidade proporciona um oceano de opções: desde manter-se na atividade atual, sem mudar nada, diminuir o passo, até fazer algo completamente diferente, que mova a sua paixão. É interessante como grandes negócios florescem quando não há pressão por resultados financeiros imediatos. Já ouviu a expressão “dinheiro chama dinheiro”? Essa é uma de suas versões, na prática.

Assim, a aposentadoria financeira pode ser vista como seu passe para a liberdade de escolha e, melhor que isso, tempo de qualidade para sua família e as atividades que você ama.

O TEMPO

Tempo e aposentadoria são quase sinônimos, principalmente por causa daqueles velhinhos simpáticos que insistem em aparecer na sua mente, cada vez que você ouve ou lê algo referente à “aposentadoria”. Entretanto, o tempo desempenha um papel diferente do que a maioria imagina, sobretudo em relação à ideia de “esperar a aposentadoria chegar”. De fato, é o inverso. Antecipar-se, isto é, não esperar nada, é o componente fundamental para ser bem sucedido nessa empreitada. Complicou? Nem tanto! Quem é passivo e fica esperando, deve contentar-se com o que o governo oferecer; quem tem sorte e trabalha para uma empresa que possui fundo de pensão, precisará ficar satisfeito com o que vier de tudo isso. São muitas as variáveis para deixar ao acaso – e estamos falando de sua vida, oras! Se você não pode esperar, então, como usar o tempo a seu favor?

Antes de mais nada, deve-se não deixar para pensar em aposentadoria só lá na frente”, até porque “lá na frente” você já deveria estar aposentado. Dessa forma, quanto antes você agir, melhor. Isso quer dizer que, tão logo seja contratado para o seu primeiro emprego ou faça a sua primeira atividade remunerada, mesmo que seja cortar a grama do vizinho, você já deve pensar em aposentadoria. O motivo é simples: quanto antes começar a construir sua reserva, mais os juros compostos trabalharão para você.

Pense em separar 10% de todo o seu rendimento, desde a sua primeira remuneração, e siga isso durante sua vida, como uma religião.

ANTES DO TELHADO, AS FUNDAÇÕES

Costumo sempre repetir que é impossível começar a construir uma casa pelo telhado. Logo, toda construção começa pelas fundações: seja uma casa, seja uma reserva financeira.

Embora a construção da aposentadoria seja fundamental, é importante que, antes disso, você crie sua reserva de emergência, que serve, como o nome diz, para um momento de exceção, tanto para uma possível perda do emprego quanto para um eventual problema de saúde. Esse dinheiro deve ser intocável, como o da aposentadoria; a não ser que haja, de fato, uma emergência. Não vale classificar “troca de carro” e “viagem de férias” como emergências.

A principal característica dessa reserva deve ser a liquidez acima da rentabilidade. Trata-se de um tipo de dinheiro facilmente acessível, sem que haja perda financeira nesse processo. Assim, o melhor lugar para aplicar esse capital é no TESOURO DIRETO, especificamente no título TESOURO SELIC.

Você deve estar preocupado sobre como vai construir as duas reservas, certo? Fique tranquilo! Há um modo extremamente simples e vou ensiná- lo agora. Embora essas reservas possuam nomes distintos, a reserva de emergência deve fazer parte do montante total de sua aposentadoria. Melhorou?

Eis, portanto, duas maneiras de alcançar o resultado:

(I) dividir os montantes mensais, de modo a compor as duas reservas com investimentos distintos ou

(II) compor, primeiro, a de emergência (lembrando que ela faz parte do “bolo” da aposentadoria) e, depois, a aposentadoria propriamente dita.

Os dois métodos funcionam, mas eu prefiro o segundo – dado o caráter imediato da reserva de emergência e pelo fato de, no limite, você já estar criando sua reserva final.

COMO CHEGAR LÁ

A essa altura, você já deve ter percebido que o caminho para chegar lá é tempo e constância; em uma palavra, disciplina. Há quem diga que destinar 10% de seus rendimentos à criação de seu patrimônio, durante toda a vida, seja o segredo para ficar rico.

Quem disse isso? Steve Seabold, milionário americano que ganhou notoriedade por ter entrevistado todos os bilionários dos EUA (entre eles: Warren Buffet e George Soros) e escrever o livro “Como os Ricos Pensam”. Para ele, poucas coisas diferenciam os muito ricos dos demais; entre elas, o autor destaca o foco obstinado e a disciplina.

Já entendeu o segredo, certo? Em vez de esperar o dia certo para investir muito, é preciso começar a investir cedo e regularmente, mesmo que seja um pequeno montante mensal.

Dessa forma, chegamos a uma fórmula simples para ser bem-sucedido, no acúmulo de reservas:

REGULARIDADE (Tempo) = APOSENTADORIA

Uma vez que essa lógica foi entendida, é hora de definir onde exatamente esse dinheiro será investido. Consequentemente, você deve levar em consideração seu plano de aposentadoria, isto é, com qual idade pretende aposentar- se, para saber o quanto tem que guardar por mês e como deve investir.

Bem mas isto é assunto para outro artigo, vou parando por aqui, com a certeza que você já entendeu que envelhecer não significa empobrecer, só depende de você.

Que tal começar a praticar estas dicas a partir de agora?

Gostou deste artigo? Então deixe um comentário abaixo e compartilhe com seus amigos e familiares, eles também podem se interessar por este assunto.

Um grande abraço e até breve.

Lembre-se:

Liberdade Financeira é uma questão de escolha.

João Aliardi

Mestre do Investimento

Clique aqui para ir para o canal do Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *